23 de nov de 2013

Quarta fase (1990-2000)

A quarta e última fase da obra de Daniel Freire inicia-se em meados da década de 1990 e permanece até a morte do artista no ano 2000. Neste período o artista optou por utilizar mais a técnica do acrílico sobre tela, porque estava impossibilitado de permanecer com a tinta óleo por problemas de saúde. Há uma tendência a variação de temas nesta fase, onde o artista experimentou diversos tipos de figurativos e deu continuidade ao apuro na produção das paisagens paranaenses. Confira as obras desta fase nas atualizações deste mês no link "Acervo". Lembro à todos que as obras estão disponíveis para a venda.

Bom novembro!
Luiza Freire
(curadora - Galeria Daniel Freire)





23 de ago de 2013

Terceira Fase (1970-1980)

Neste mês apresentamos a penúltima fase da carreira de Daniel Freire. Um período muito produtivo e de apurado senso estético, o amadurecimento da proposta artística. Nesta fase há uma clara predileção pelas paisagens e a ênfase das telas com elementos paranaenses. 
Há uma continuidade e um refinamento na pintura de retratos, mas o foco do período são as paisagens e naturezas morta. Telas que retratam o cotidiano da cidade de Curitiba e seus rápido desenvolvimento urbano. É também a fase de maior destaque do artista para o grande público, os registros das exposições desta época evidenciam estas participações, contabilizando mais de vinte exposições na década. Daniel Freire participou de diversos salões, exposições individuais e coletivas no Paraná neste período de tempo. É também o momento onde ele se voltou às aulas em seu primeiro atelier, situado no Centro histórico de Curitiba formando suas turmas que o acompanhariam até seu falecimento nos anos 2000.
Convido-os a conhecerem um pouco mais do universo desta fase, aqui no blog, na sessão Acervo.

Cordialmente,
Luiza Freire.
(curadora)

(óleo sobre tela)

(óleo sobre tela)

(cerâmica)

28 de jul de 2013

Segunda Fase (1960-1970)

Dando continuidade a exposição das fases do acervo de Daniel Freire, apresento-lhes a segunda fase da produção artística que tem início na década de 1960 e se estende até meados dos anos de 1970. Este período coincide com o aperfeiçoamento das técnicas do artista e, especialmente, da sua especialização nos retratos. Foi nesta época que Daniel Freire teve contato com um dos seus grandes conselheiros e amigo de décadas que o incentivou a ter seu próprio atelier no final da década de 1970 e que mudaria os rumos das fases posteriores, o curador Alvino Frankeberg. As obras destes período são escassas na galeria, ou por estarem em posse de colecionadores e também pela produção reduzida do artista, este era o período mais introvertido no qual ele estudou mais e dedicou-se a criação dos filhos e outra atividade artesanal (a produção de retratos como os fotográficos de hoje). Acompanhe a descrição das outras fases nos meses seguintes.





Cordialmente,
Luiza Freire Noguchi.
(curadora do acervo)





27 de jun de 2013

Primeira Fase (1950-1960)

Neste mês inicio uma série de relatos sobre as fases da vasta carreira do artista Daniel Freire. Desde à infância o artista já esboçava seus primeiros desenhos e seu olhar sobre a realidade. Viveu boa parte da infância na zona rural da cidade do interior oeste do estado de São Paulo e boa parte das suas memórias foram exploradas em telas da primeira fase da sua carreira. Divido em quatro grandes fases ou períodos da obra dele, agora delinearei a primeira fase (década de 1950 à meados da década de 1960) e nos meses seguintes as seguintes, mostrando a incrível seleção de momentos e perspectivas de uma carreira de mais de cinquenta anos.

Nesta primeira fase são claras as influências nas obras de Freire da escola do mestre paranaense Alfred Andersen e de Guilherme Matter. As paisagens e as pinceladas espatuladas são constante nos quadros de Daniel neste período.



Confira mais exemplares da Galeria no link "Acervos" aqui deste blog. Bom junho!

Luiza Freire.
(curadora da Galeria Daniel Freire)




16 de mai de 2013

Daniel Freire tinha como especialidade a criação de retratos. Na década de 1980 produziu diversos deles. Junto com estes retratos criou um extenso acervo de nus artísticos em telas e gravuras variadas. Confira a produção, este mês, com uma afetuosa dedicatória as mães, retratadas na sua essência feminina pelo artista.

Visite o link : http://galeriadanielfreire.blogspot.com.br/p/acervo_6607.html

Cordialmente,
Luiza Freire.
(curadora - Galeria Daniel Freire)




Nu Artístico

(esboço/estudo)

(obra finalizada)

Título: Modelo Cleusa
Ano: 1985
Técnica: Óleo sobre Tela


Título: Modelo Cleusa II
Ano: 1985
Técnica: Óleo sobre Tela

14 de abr de 2013

Retratos - Polícia Militar (Curitiba)

Na década de 1970, Daniel Freire, a pedidos da Polícia Militar do Paraná (com sede em Curitiba) pintou os  retratos dos comandantes gerais da corporação para serem expostos no museu desta instituição. Além destes retratos o artista cedeu a Polícia Militar o quadro de 1966, de sua autoria, referente a Guerra do Contestado (1912) e especificadamente uma cena da Batalha do Irani. O museu está aberto à visitação, confira os horários no endereço:

http://www.policiamilitar.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=6

Luiza Freire
curadora - Galeria Daniel Freire
(55 41)8888-2693

Título: Combate do Irani (Guerra do Contestado - 1912)
Ano: 1966
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 1,50m x 2,20m
(acervo da Polícia Militar)

 Arquivo : O artista e a obra "Combate do Irani"
Foto: Djalma Corrêa Schneider
ano: 1970
Arquivo/ reedição fotográfica: Luiza Freire (2013)

Arquivo : Retratos dos Comandantes
Foto: Djalma Corrêa Schneider
ano: 1970
Arquivo/ reedição fotográfica: Luiza Freire (2013)



Arquivo : Daniel Freire e os retratos dos Comandantes.
Foto: Djalma Corrêa Schneider
ano: 1970
Arquivo/ reedição fotográfica: Luiza Freire (2013)



27 de mar de 2013

PARABÉNS CURITIBA- 320 ANOS
Uma homenagem da Galeria Daniel Freire.


4 de mar de 2013

Artefatos de Freire.

Conheça neste mês algumas das peças preservadas (paleta, relógio, bastão, pincéis,cavalete, etc) do acervo do artista Daniel Freire. Em breve disponibilizaremos algumas obras em Galerias da cidade de Curitiba. Aguardem as novidades!


Bom março!


Luiza Freire Noguchi.
(curadora e marchand)

Paleta

Cavalete e banqueta.

Espátula

Relógio do artista.

7 de fev de 2013

Nascimento do artista.

Hoje é comemorado o dia do nascimento de Daniel Freire, em 2013 o artista completaria 87 anos. A lembrança da presença dele continua viva nos corações daqueles que tiveram o privilégio da sua companhia e pelos brilhantes quadros que ele deixou em vida. Em sua homenagem preparamos esta seleção de auto-retratos do artista.


Estamos organizando para o ano de 2013 uma exposição com as obras de vários períodos do artista Daniel Freire. Em breve mais notícias sobre a data e o local deste evento.

Não deixem de acompanhar a página da Galeria Daniel Freire no Facebook:                 


http://www.facebook.com/GaleriaDanielFreire

Luiza Freire Noguchi
(Galeria Daniel Freire)

Auto-retrato exposto no Museu Alfredo Andersen em Curitiba.
ano:1980

 Auto-retrato
ano:1966

Auto-retrato
ano:1960

"Leitura"
ano:1990

Daniel Freire e seu filho Luiz Carlos.
ano:1973

Auto-retrato intulado: "O artista e a Paisagem"
ano:2000

Último auto-retrato da carreira.
ano:2000

10 de jan de 2013

Paisagens Paranaenses

Ao longo da vida e da carreira o artista Daniel Freire adotou o Paraná como seu lar. Sua ligação com o Estado era intensa e foi amplamente retratada em suas telas. Sua marca são os pinheiros e o acervo da Galeria Daniel Freire possui diversas imagens de paisagens do Paraná. Dos campos à capital, passando pelos diversos pontos turísticos (Vila Velha, Cataratas do Iguaçu, Litoral, etc.) foram belas impressões captadas pelo artista.
Confira algumas das obras do acervo com o Paraná como tema.

Um excelente ano de 2013!
São os votos de:
Luiza e Ivany Freire
(Galeria Daniel Freire)

Feirinha do Largo da Ordem - Curitiba/PR

Vila Velha (Ponta Grossa) - Paraná

Vila Velha 2 (Ponta Grossa)- Paraná

Serra do Mar

Mata Atlântica

Ilha do Mel - Paraná

Catedral Metropolitana de Curitiba